quarta-feira, 2 de março de 2016

ATENÇÃO FRENTISTAS ! NOTÍCIAS DA NEGOCIAÇÃO!!!

ATENÇÃO  FRENTISTAS

Companheiros e Companheiras, já tivemos sete rodadas de negociação  com o Sindicato patronal (MINASPETRO) e o resultado foi o seguinte:

 1ª. REUNIÃO      -     PROPOSTA  PATRONAL =  zero         

 2ª. REUNIÃO     -      PROPOSTA PATRONAL =   zero

 3ª. REUNIÃO    -       PROPOSTA  PATRONAL  =   3,5%

 4ª. REUNIÃO     -      PROPOSTA  PATRONAL   =  8,5%

 5ª. REUNIÃO      -      PROPOSTA  PATRONAL   =  9,1%

 6ª. REUNIÃO      -      PROPOSTA  PATRONAL =    zero

 7ª. REUNIÃO     -      PROPOSTA  PATRONAL =    zero

Como  a proposta que  prevalece é a última (ou seja, aquela apresentada na última reunião), conclui-se que a atual  proposta patronal é ZERO.

AUMENTO NOS  COMBUSTÍVEIS ANO 2015  =  21%

Companheiros(as), o nosso desempenho no atendimento aos clientes deveria também ser de acordo com a proposta patronal, mas não agimos assim, porque temos compromisso com aqueles que atendemos.

MAS CHEGA A HORA EM QUE O SACO VAZIO NÃO PARA EM PÉ!

8ª. REUNIÃo    ---      DIA 03/03/2016 ÀS 14:00 HORAS.

SINDICALISMO É COISA SÉRIA!
SINDICATO DOS TRABALHADORES EM POSTOS DE SERVIÇOS DE COMBUSTÍVEIS  E DERIVADOS DE PETRÓLEO DE JUIZ DE FORA E REGIÃO-SINTRAPOSTO-MG.                                                                                 
                                                                  A Diretoria.

terça-feira, 1 de março de 2016

Campanha salarial dos frentista continua indefinida

Continua indefinida a campanha salarial dos empregados dos postos de combustíveis, lojas de conveniência, lava-rápidos, estacionamentos e garagens de Minas Gerais. A data-base (ocasião de reajuste salarial e renovação da Convenção Coletiva de Trabalho) da categoria é 1º de novembro.
     As entidades sindicais que representam os frentistas neste Estado, atuando em conjunto em negociação coletiva com pauta unificada, realizaram mais duas reuniões com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (MINASPETRO), na sede da entidade patronal, em Belo Horizonte. Uma no dia 28 de janeiro e a outra no dia 17 de fevereiro. Durante as reuniões, os representantes dos trabalhadores e os da classe patronal debateram acaloradamente diversos assuntos de interesse dos empregados e empregadores dos postos de combustíveis de Minas Gerais, mas não chegaram a um acordo para celebração da nova Convenção Coletiva de Trabalho da categoria, divergindo-se acerca de várias questões, principalmente sobre o índice de reajuste a ser aplicado aos salários dos trabalhadores e à PLR – Participação nos Lucros e Resultados das empresas.

     Para o presidente da Federação Nacional dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo (FENEPOSPETRO), Francisco Soares, “o MINASPETRO vem se mantendo muito intransigente, o que está dificultando a negociação”. 
     O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região – SINTRAPOSTO-MG (que representa esses trabalhadores em Juiz de Fora e Região), Paulo Guizellini, afirmou que “o Sindicato patronal ainda não apresentou na mesa de negociações nenhuma proposta que atenda às necessidades e aspirações dos trabalhadores, razão pela qual não foi fechado ainda nenhum acordo”.

     Foi marcada para o dia 3 de março a oitava reunião dos sindicalistas.

Juntamente com a bancada trabalhista (à esquerda), o presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini (em pé), ao lado do advogado João Batista de Medeiros (ao centro), integrante do Departamento Jurídico da entidade, participando da 6ª rodada de negociação com a Comissão Negociadora do MINASPETRO (à direita), na sede do Sindicato patronal, em Belo Horizonte, no dia 28 de janeiro.

fonte: JORNAL O COMBATE
-----------------------------------------------------------

Beneficiados elogiam atitude da Diretoria do Sindicato

A entrega do material escolar aos sindicalizados aconteceu na sede do SINTRAPOSTO-MG, na Rua Halfeld, nº 414, sala 609, Centro de Juiz de Fora, no dia 27 de janeiro. Na ocasião, muitos dos beneficiados fizeram questão de ressaltar a importância dessa doação e elogiaram a atitude da Diretoria do Sindicato.
     O frentista Paulo Vítor Rodrigues Ramos, que tem quatro filhos na escola, contou que recebe material escolar do Sindicato há quatro anos e destacou: “Isso nos ajuda muito. No meu caso, só de material escolar, se não fosse essa ajuda, eu teria que gastar em torno de R$ 600,00 a R$ 700,00. É uma grande economia no nosso orçamento doméstico. E o material sempre foi de ótima qualidade”.
     O frentista Dejair Leonardo Santos Silva, ao pegar material escolar para cinco filhos, disse que essa doação “é uma coisa muito boa que o Sindicato dá para a gente, é uma ajuda muito boa mesmo, pois alivia muito o peso do alto custo do material escolar no nosso orçamento doméstico”.
     E Wilder da Mata Stefanon, ao lado da sua mulher, que é frentista, ao receber material escolar para duas crianças, afirmou que “esta é uma ajuda de grande valia, principalmente neste momento de crise que o País está passando, é uma excelente oportunidade para a gente não ter esse tipo de gasto na volta às aulas neste início de ano, quando temos muitos outros gastos”. 
     O reconhecimento manifestado pelos associados beneficiados deixou muito contente o presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, que assinalou: “A gente fica feliz por saber que os nossos companheiros trabalhadores estão satisfeitos com a atuação do Sindicato. Os associados contribuem para o fortalecimento do Sindicato. E a entidade retribui, dando material escolar e muitos outros benefícios aos associados”. 
 Diante de vários associados e uma grande quantidade de material escolar, Guizellini fez questão de ressaltar: “Tudo isso foi comprado com recursos próprios do Sindicato e doado a todos os associados que se inscreveram para tal. E vale destacar: doado de boa vontade e de coração. Nesta hora, o nosso coração pulsa forte de tanta alegria por poder contribuir para que os trabalhadores e seus filhos possam estudar”.



FONTE JORNAL O COMBATE

SINTRAPOSTO doa material escolar a seus associados


O presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, entregando material escolar a frentistas e filhos
e esposa de frentista na sede do Sindicato no dia 27 de janeiro.


A Diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região - SINTRAPOSTO-MG, preocupada com a difícil situação financeira vivida pelos trabalhadores de baixa renda, achou por bem contribuir, dentro de suas possibilidades, para aliviar um pouco o fardo pesado que os associados da entidade carregam na área educacional.
     Assim, para incentivá-los a estudar e ajudá-los na manutenção de seus filhos na escola, o Sindicato, a exemplo dos anos anteriores, doou recentemente vários artigos de material escolar a todos os seus associados que se inscreveram para tal. “Esta é a forma que encontramos para ajudar os nossos companheiros trabalhadores e seus filhos a estudarem neste momento tão difícil que o Brasil vive, quando grave crise econômica e inflação muito alta assolam o nosso País, sendo que os estudos e o material escolar estão realmente muito caros” – afirmou o presidente do SINTRAPOSTO, Paulo Guizellini.
     Em seguida, ele acrescentou ter ficado satisfeito com o fato de o Sindicato ter podido dar a sua parcela de colaboração “modesta, mas espontânea, de boa vontade e de coração”, para amenizar um pouco a luta de seus associados na área educacional.
     Segundo Guizellini, a Diretoria do SINTRAPOSTO achou por bem fazer tal distribuição de material escolar para que os filhos dos frentistas, ou mesmo os frentistas que queiram estudar, possam frequentar as salas de aula, aprendendo mais e adquirindo qualificação profissional cada vez melhor, sem gastarem dinheiro com material escolar.

FONTE JORNAL O COMBATE

Câmara volta a discutir assaltos a postos de combustíveis em JF


Quase cinco anos depois da primeira Audiência Pública da Câmara Municipal de Juiz de Fora para debater a questão da onda de assaltos a postos de combustíveis na Cidade (realizada em 23 de março de 2011), o Legislativo voltou a realizar Audiência Pública para discutir o assunto na tarde de 24 de fevereiro, a pedido do vereador José Emanuel (PSC) e do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região – SINTRAPOSTO-MG.
     Muitos empregados e alguns proprietários de postos de combustíveis, bem como autoridades responsáveis pela segurança pública, estiveram presentes à Audiência, que foi iniciada pelo presidente do Legislativo, vereador Rodrigo Mattos (PSDB), e posteriormente dirigida pelo vereador Júlio Gasparette (PMDB), 1º vice-presidente da Câmara.
     Os frentistas Paulo Sérgio da Silva e José Luiz Rodrigues, diretores do SINTRAPOSTO-MG, fizeram uso da palavra, contando situações de violência e o drama que eles e os demais frentistas enfrentam diariamente por causa do perigo representado pela ação de bandidos. José Luiz relatou que levou uma coronhada na nuca durante recente assalto ao posto em que ele trabalha, na Avenida Sete de Setembro.     
     Em sua fala, o autor da proposta da Audiência Pública assinalou que “os assaltos estão mais agressivos com o uso de armas de fogo, o que evidentemente estão deixando as vítimas mais traumatizadas”. José Emanuel disse que reconhece o trabalho da Polícia Militar no combate ao crime, mas sabe que o efetivo da PM é insuficiente para atender a demanda da Cidade. Ele propôs a instalação de câmeras de “Olho Vivo” nos postos de combustíveis, com o controle pela PM, para que possa haver uma vigilância virtual em tempo real e, assim, facilitar a prisão de bandidos. O vereador fez a defesa da vida e externou sua solidariedade às vítimas que estão traumatizadas.
     Outros vereadores também discursaram, abordando a questão dos assaltos a postos de combustíveis em Juiz de Fora. Chico Evangelista (PROS) ressaltou a “fragilidade dos postos por serem locais de circulação de grande soma em dinheiro” e acrescentou que até receia pelo fechamento de alguns estabelecimentos desse tipo por causa da gravidade do problema. Antônio Aguiar (PMDB) disse sentir que “a defasagem de policiais militares e civis prejudica a abrangência de ações de prevenção e repressão”. E Roberto Cupolillo (Betão-PT) disse acreditar que a tecnologia vai ajudar a resolver ou minimizar o problema, através da utilização cada vez maior de cartões para pagamentos. Ele cobrou a responsabilidade das distribuidoras de combustíveis no tratamento do problema.
     Ao discursar, o presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, voltou a se mostrar muito preocupado com os diversos assaltos que há vários anos vêm acontecendo em postos de gasolina na Cidade e revelou as ideias da entidade para combater esses crimes.
     O sindicalista voltou a cobrar do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (MINASPETRO) a adoção de medidas de segurança nos postos para inibir assaltos a esses estabelecimentos em Juiz de Fora. “Providências precisam ser tomadas e uma delas tem que ser a adoção urgente de medidas preventivas de segurança como as câmeras de circuito interno” - afirmou. Segundo ele, “é preciso que todos os postos de gasolina de Juiz de Fora - e não apenas alguns, conforme acontece hoje - tenham câmeras de segurança, mas é preciso também que elas sejam de boa qualidade e fiquem sempre ligadas, pois sabemos que alguns postos até têm esses equipamentos, mas muitas vezes eles ficam desligados e suas imagens não são de boa qualidade, o que evidentemente não ajuda no trabalho da Polícia”.
     Para Guizellini, “é muito importante que os postos tenham boa iluminação para melhorar a segurança dos frentistas que trabalham à noite, assim como é necessário que haja nesses estabelecimentos uma placa ou um cartaz esclarecendo que a chave do cofre não fica mais com os frentistas”. O sindicalista lembrou que na noite de 19 de agosto de 2015 um frentista foi atingido por dois tiros no tórax durante assalto ao posto de combustíveis em que trabalhava, no Bairro Igrejinha, na Zona Norte, às margens da BR-267, porque os bandidos queriam a chave do cofre.
     Guizellini ressaltou que “o SINTRAPOSTO já vem fazendo a sua parte há muito tempo, ou seja, já tomou as providências que lhe cabiam, promovendo reuniões com o MINASPETRO e representantes da Polícia Militar, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal para tratar do assunto”.
     Guizellini lembrou que há mais de 15 anos o Sindicato que representa os frentistas em Juiz de Fora e Região vem lutando pela adoção de medidas preventivas para inibir assaltos a postos de gasolina na Cidade. “Esta nossa luta é antiga porque os assaltos a postos de gasolina vêm ocorrendo há muitos anos, pondo em risco a integridade física de frentistas, transeuntes e clientes dos postos” - recordou. 
     Guizellini reafirmou que o SINTRAPOSTO vai continuar se movimentando na defesa dos trabalhadores e no sentido de combater e conter os assaltos a postos de gasolina.  
     O diretor da Federação Nacional dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo (FENEPOSPETRO), Hozano Felix Silva, que esteve presente a convite de Guizellini, contou sua experiência na cidade mineira de Montes Claros, onde a FENEPOSPETRO atua. Segundo ele, foi realizada parceria com a Polícia Militar e os resultados têm sido positivos.
     Hozano disse que “posto de combustíveis é área de periculosidade não só por causa do perigo representado pelos combustíveis, mas também em função do perigo representado pelo fato de esses estabelecimentos serem alvo fácil de ladrões, razão pela qual ficou acertado em Montes Claros que a chave dos cofres não ficaria mais com os frentistas e os policiais permaneceriam atentos a pessoas que circulassem de maneira suspeita nas proximidades dos postos”. Hozano sugeriu que sejam colocadas nos postos faixas com manifestações sobre segurança. Segundo ele, “isso também afasta ladrões”.
     Dois representantes da Polícia Militar participaram da Audiência Pública. O capitão Flávio Campos, que estava representando o 27º Batalhão da Polícia Militar (responsável pela Cidade Alta e Zonas Norte e Sul de Juiz de Fora), ressaltou que “a PM está sempre fornecendo à população dicas de autoproteção e sempre participando de reuniões que buscam estratégias e soluções para a questão da segurança”. Por sua vez, o capitão Reginaldo Teixeira, que representava o 2º Batalhão da Polícia Militar, também destacou a “importância das medidas de autoproteção que vão minimizar a exposição da vítima ao ataque de bandidos”. E ressaltou que os postos precisam ter boa iluminação para o trabalho noturno dos frentistas. Os dois militares disseram que é muito importante a existência de câmeras de segurança nos postos de combustíveis não só para inibir a ação de ladrões, mas também para facilitar a identificação e prisão dos criminosos, a realização de flagrantes e o indiciamento perante a Justiça.      
     A diretora do DSART (Departamento de Saúde e Referência do Trabalhador), Ivone Garcia, informou que “assaltos recorrentes e doenças provenientes do benzeno presente na gasolina, como o câncer, deixam os frentistas mais dependentes do sistema de saúde”.  Ela sugeriu “que as partes envolvidas na questão voltem a conversar sobre o assunto para que novas alternativas sejam adotadas para conter o avanço da violência nos postos de combustíveis da Cidade e melhorar a saúde dos frentistas”.     
     A empresária Renata Camargo, que representou o Sindicato patronal, contou que um de seus postos de combustíveis, situado no Bairro Santa Cruz (Zona Norte), já foi assaltado 15 vezes. Segundo ela, “há empresários que apostam na contratação de seguranças, mas nós ponderamos quanto a ineficiência da medida”.
     O Ministério do Trabalho esteve presente através do Chefe do Setor de Relações do Trabalho da Gerência Regional do Trabalho de Juiz de Fora, Sérgio Tatsuo Nagasawa.
     Já o Ministério Público do Trabalho, a Procuradoria da República em Juiz de Fora e a Polícia Civil, embora convidados, não mandaram representantes à Audiência Pública.


                          O presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, discursando na
                           tribuna da Câmara durante a Audiência Pública que discutiu a questão
                                     dos assaltos a postos de combustíveis na Cidade
.


                                             O diretor da Federação Nacional dos Empregados
                                              em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados
                                           de Petróleo (FENEPOSPETRO), Hozano Felix Silva,
                                             esteve presente à Audiência Pública a convite de
                                   Paulo Guizellini e discursou na tribuna da Câmara Municipal de Juiz de Fora
.


O vereador José Emanuel propôs a instalação de
câmeras de “Olho Vivo” nos postos de combustíveis,
com o controle pela PM, para que possa haver
uma vigilância virtual em tempo real e, assim,
facilitar a prisão de bandidos
.


A empresária Renata Camargo, que representou o MINASPETRO (Sindicato patronal), contou que um de
seus postos de combustíveis, situado no Bairro
Santa Cruz (Zona Norte), já foi assaltado 15 vezes
.

O capitão Flávio Campos falou em nome do 27º Batalhão da Polícia Militar e ressaltou que é  muito importante
a existência de câmeras de segurança nos postos
de combustíveis não só para inibir a ação de ladrões,
mas também para facilitar a identificação e prisão
dos criminosos, a realização de flagrantes e o indiciamento perante a Justiça.


A diretora do DSART (Departamento de Saúde e Referência do Trabalhador), Ivone Garcia, informou
que “assaltos recorrentes e doenças provenientes do benzeno presente na gasolina, como o câncer, deixam
os frentistas mais dependentes do sistema de saúde”
.


O capitão Reginaldo Teixeira representou o 2º Batalhão
da Polícia Militar e salientou que os postos precisam ter boa iluminação para o trabalho noturno dos frentistas .


FONTE JORNAL O COMBATE


http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2016/02/audiencia-em-juiz-de-fora-debate-seguranca-de-postos-de-combustiveis.html

materia que saiu no site da GLOBO






COMPANHEIROS  E COMPANHEIRAS  FRENTISTAS:

A nossa proposta companheiros, ainda continua a mesma, confira na ata em anexo.









terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Convite para Audiência Pública na Câmara Municipal de Juiz de Fora para debater a questão da onda de assaltos a postos de combustíveis na Cidade

Todos os frentistas, clientes dos postos de combustíveis e demais pessoas do povo devem comparecer à Câmara Municipal de Juiz de Fora, nesta quarta-feira, dia 24 de fevereiro de 2016, às 15 horas, a fim de assistir e participar da Audiência Pública para debater a questão da onda de assaltos a postos de combustíveis em Juiz de Fora.
Todos estão convidados e ninguém deve faltar. A sua presença é muito importante. Afinal, os assaltos a postos de gasolina, que vêm ocorrendo há muitos anos nesta Cidade, põe em risco a integridade física dos frentistas, dos clientes dos postos e também dos transeuntes (aquelas pessoas que transitam nas proximidades desses estabelecimentos).
Na noite de 19 de agosto de 2015, um covarde assalto a posto de combustíveis foi registrado pela Polícia Militar. Em Igrejinha, na Zona Norte, às margens da BR-267, um frentista, de 22 anos, foi atingido por dois tiros no tórax.
Até hoje as balas estão alojadas no corpo desse trabalhador. Isso causa revolta que aumenta ainda mais quando vemos que os assaltos a esses estabelecimentos continuam a acontecer.
Isso não pode continuar. Temos que agir, temos que fazer alguma coisa. E você, que agora está sendo convidado para essa Audiência Pública, pode dar a sua parcela de colaboração, comparecendo à Câmara no momento dessa reunião pública.  Precisamos nos movimentar no sentido de conter os assaltos a postos de gasolina, pois a integridade física dos frentistas, transeuntes e clientes dos postos não pode continuar sendo ameaçada por bandidos. Contamos com a sua presença.  
Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região – SINTRAPOSTO-